La-Mulana (MSX)

La-Mulana (MSX)
La-Mulana (MSX)

La Mulana MSX

Gênero: Aventura
Perspectiva: Vista lateral
Jogabilidade: Metroidvania, plataforma, elementos de quebra-cabeça
Cenário: Contemporâneo
Desenvolvido por: Pepe Vila
Plataforma: MSX
La-Mulana é um jogo retrô no gênero “Metroidvania”, copiando intencionalmente o estilo de jogos para computadores MSX, um gráfico simples, e também contendo muitas alusões a outros jogos nesta plataforma. Principalmente escrito sob a influência de “Maze of Galious” – um dos primeiros jogos de plataforma de exploração com o mundo aberto.
Lemeza Kosugi, professor de arqueologia, recebe uma carta de seu pai há muito perdido, Sean Kosugi, também arqueólogo. Na carta Sean com triunfo informa que finalmente encontrou as ruínas da antiga cidade de La Mulana – o berço de todas as civilizações que já existiram. Obscurecida pelo ciúme científico, Lemesa faz sua própria jornada pelas misteriosas ruínas.
La Mulana é de fato o berço de muitas civilizações, incluindo aquelas que existiam antes do surgimento das pessoas. Certa vez, uma criatura misteriosa caiu neste lugar do céu, que no jogo é respeitosamente chamada de Mãe. A mãe queria voltar para o céu, mas seu corpo era tão grande que ela não conseguia nem se mexer. Na verdade, as ruínas de La Mulan fazem parte de seu corpo. A mãe tinha a capacidade de dar à luz à vida e, como não podia voltar para casa, criou diferentes raças, na esperança de que a ajudassem a chegar ao céu.
Não se sabe muito sobre as próprias raças. A Quarta Raça era uma raça de pescadores; até a Sétima havia quatro Magos, com os quais, no decorrer do jogo, tiveram que lidar com Lemese; na verdade, as pessoas são a Oitava Raça. Acima de tudo, sabemos sobre a Segunda Raça, muito poucas, consistindo, aparentemente, de nove gigantes.
Parte dos gigantes, atendendo ao pedido da Mãe para devolvê-lo ao Céu, construiu uma torre voadora. Perto do final do jogo, o protagonista entra nesta torre e parece mais uma nave espacial – com eletricidade e telas de monitor. Outra parte dos gigantes, não querendo libertar a Mãe da Terra, entrou em conflito com a primeira. Exaustos pela guerra, muitos gigantes caíram e adormeceram para sempre. Os sobreviventes tentaram fazer a torre funcionar – para isso, era necessária água. Portanto, dois gigantes moveram o lago para mais perto da torre e o terceiro cavou um túnel entre eles. Esses esforços esgotaram completamente as forças gigantescas, e elas também adormeceram eternamente.
A estrutura das ruínas é misteriosa o suficiente. As áreas dentro das ruínas são divididas em frente e verso. Cada região frontal é guardada pelo Guardião, depois de derrotá-la, Lemez obtém acesso à área de retorno correspondente (além disso, um artefato especial, um espelho mágico é necessário para a viagem). As razões para a divisão do mundo em duas partes no jogo não são explicadas de forma alguma. Além disso, os dois Sentinelas são tão poderosos que alteram parcialmente a estrutura das ruínas descrita acima – Baphomet une a parte frontal e reversa em um todo, e Tiamat – as altera em alguns lugares.
O verdadeiro propósito das ruínas só pode ser adivinhado. O Mausoléu dos Gigantes e o Cemitério dos Gigantes são os lugares em que viveram e foram enterrados. A primavera no céu e a Torre da Deusa, como já mencionado – as criações das mãos dos gigantes. As restantes áreas de clareza menos. Câmaras de Nascimento, aparentemente – o lugar onde todas as raças nasceram, mas não está claro por que seu lado reverso é chamado de Câmaras de Aniquilação e é descrito como “o local de uma grande batalha”. Nas Cavernas do Submundo, você pode encontrar algumas dicas de que este lugar costumava ser uma fonte de energia; o verso – a Torre das Ruínas – é descrito como “estilhaços de um sonho despedaçado”. Pode-se apenas supor que eles significavam as ruínas de outra tentativa frustrada de enviar a Mãe ao Céu, mas aqui já estamos entrando no campo das conjecturas. No entanto, em outras áreas, mesmo para adivinhação, as informações não são suficientes.
Em suas viagens pelas ruínas, Lemez desperta os quatro Magos, os representantes da Sétima Raça, que também tentaram trazer a Mãe de volta ao Céu, mas acabaram abandonando essas tentativas. Os Magos explicam ao protagonista que é impossível realizar o desejo da Mãe, e tudo o que ele é capaz de fazer é conceder-lhe paz, destruindo sua alma. Para fazer isso, Lemez ganha oito almas Guardiãs, perfura as ruínas de seu corpo com oito estacas, traz à vida sua alma, com a ajuda do Elixir da Vida, e destrói. Neste jogo termina.

Deixe uma resposta